1 linkedin  4 youtube  3 facebook  2 slideshare  5 twitter  7 google plus    

“Às 3 da manhã meu celular tocou. Era meu diretor e eu ouvi tudo o que não queria: ‘Parou tudo lá na empresa. Precisamos ir lá agora para ver o que está acontecendo’. Pensei que era só um pesadelo, mas era a dura realidade. Vesti uma calça e uma camiseta, pequei a chave do carro e sai correndo.

Disaster

Fui o primeiro a chegar. O porteiro do prédio me informou que alguém tinha esquecido uma torneira aberta na obra do pavimento logo acima da minha empresa. Eu vi a água descendo pelos elevadores e pensei o pior. Subi os 13 andares pela escada. Quando cheguei na empresa fiquei branco: depois de algumas horas a água acumulou no piso logo acima e, durante a noite, começou a escoar pelas luminárias. Havia água por toda parte.

Naquela madrugada, todos os que podiam ajudar começavam a chegar: gerentes, diretores, analistas, mas fui eu o primeiro a entrar no data center. Vi a água escorrendo pelos Racks e muitos equipamentos já não tinham luzes acessas. Gelei.

Imediatamente desligamos a energia do data center e começamos a desconectar, retirar, desmontar tudo o que víamos pela frente: switches, servidores, nobreaks, storage. Estava tudo completamente molhado. Tentamos limpar e secar o que fosse possível e torcíamos para que nada estivesse danificado e que nenhum dado tivesse sido perdido. Mandamos buscar as fitas da Iron Montain só por precaução, mas no fundo torcia que não fosse preciso usá-las, pois neste caso iríamos perder dias para comprar hardware novo e remontar tudo e a empresa teria um prejuízo enorme.

A medida que os equipamentos iam ficando secos, íamos remontando, mas não tínhamos coragem de religá-los imediatamente. Todos estavam muito apreensivos. Montamos um ‘data center de emergência’ na sala de reunião, no piso inferior. Para nosso azar, justamente o servidor de Backup tinha recebido mais água que os demais e não conseguimos ligá-lo. A minha esperança de remontar o ambiente a partir das fitas ficou ainda mais distante. Comecei a sentir um nó no estômago. Já estava me preparando para o pior.

A empresa não podia ficar mais tempo parada, então, depois de quase 24 horas sem quase respirar, rezamos, suspiramos e religamos tudo. Tivemos muita sorte: a maioria dos sistemas subiu e a empresa pode finalmente voltar a faturar depois de um dia inteiro parada. Sentia-me um verdadeiro herói, mas fui julgado incompetente pois não tinha previsto este desastre e a empresa tinha perdido alguns milhões em vendas naquelas 24 horas. Quem poderia prever isto? Mas alguém tinha que ‘pagar o pato’ e acabei sendo demitido. “

Esta estória podia ter tido um final diferente: a empresa poderia ter passado sem nenhum prejuízo e nosso amigo podia ter mantido seu emprego: tudo porque ninguém considerou que poderia haver um desastre.

Elabore um Plano de Recuperação contra Desastres, a Zerto pode ajudar. Empresas que podem ter um DRP (Disaster Recovery Plan) só são empresas que tem muito dinheiro, certo? Errado. Qualquer empresa pode e precisa ter um Plano de Recuperação de Desastres.

Primeiro você precisa ter um site secundário: pode ser uma filial física, um collocation ou até mesmo espaço na Amazon ou Azure. Se for em um site físico talvez uns poucos hosts com Hyper-V e discos locais sejam suficientes para subir seus aplicativos essenciais para a maior parte das empresas médias. Se for em nuvem basta ter recursos para rodar uma única máquina virtual e o espaço de seus dados.

A conectividade é importante? Claro, mas esqueça aquelas necessidades absurdas de links tipo Metro com latências baixíssimas. Zerto não requer uma banda muito grande. Para empresas médias 10 Mbps são suficientes.

Por fim, basta acrescentar o Zerto e em poucas horas (*) você terá todo o seu ambiente replicado com apenas 10-20 segundos de RPO (o tempo de atraso em relação ao seu site de produção). E, em caso de desastre, ao toque de um botão, toda a sua infraestrutura crítica sobre em menos de 5-10 minutos (RTO). Nosso amigo desta triste estória teria mantido o emprego e a empresa não teria perdido uma venda sequer.

Veja mais informações sobre Zerto assistindo aos Webinars ao vivo ou gravados no site da Bravo Tecnologia em https://www.bravotecnologia.com.br

Precisa de mais informações agora? Entre em contato com a Bravo Tecnologia e solicite uma proposta e um PoC (Proof of Concept): em uma tarde podemos simular a operação com, no mínimo um ambiente VMware com vCenter ou HyperV com SCVVM.

E volte a ter noites tranquilas.

(*) se a quantidade de dados for muito grande e seu link muito pequeno, você pode levar uma cópia dos ses dados, mesmo desatualizada, para o outro site para servir de "semente". Zerto então replica apenas os segmentos alterados, em poucas horas.

# #